O Licito do Ilícito


José Eduardo Cardoso deixou o Ministério da Justiça e a presidente Dilma nomeou em seu lugar Wellington César, aliado do ministro chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, aquele do Twitter.

José Eduardo Cardoso deixou o Ministério da Justiça e a presidente Dilma nomeou em seu lugar Wellington César, aliado do ministro chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, aquele do Twitter.

Defesa do ex-presidente Lula protocola documento no STF reiterando pedido feito para que a corte suspenda, de forma provisória, as investigações em curso sobre propriedades atribuídas a ele.

Após o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgar o resultado do PIB do ano passado, que registrou queda de 3,8% na comparação com 2014, o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, afirmou que o governo trabalha para adotar as medidas necessárias para que o país recupere a economia ainda neste ano.

Em delação premiada, o senador e ex-lider do governo Dilma no senado Delcídio do Amaral, acusado de obstruir investigações da Lava Jato, citou o ex-presidente Lula e a presidente Dilma, conforme revelou edição da revista “IstoÉ”. O senador disse que Lula tinha conhecimento do esquema de corrupção na Petrobras e que Dilma agiu para interferir na Lava Jato.

Os ministros do STF Celso de Mello e Marco Aurélio Mello afirmaram que ninguém está imune à investigação e que quem violar a lei deverá pagar por isso (sobre questionamentos da delação de Delcidio).

Já o ministro Gilmar Mendes, afirmou que o esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato é um “filhote maior” do mensalão.

Por 10 votos a 0, o STF acolheu denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A assessoria do ex-presidente Lula divulga nota na qual afirma que o petista “jamais participou, direta ou indiretamente, de qualquer ilegalidade” dos fatos investigados pela Operação Lava Jato e o Instituto Lula fala na nota em “jogo de vazamentos ilegais, acusações sem provas e denúncias sem fundamento”. O mesmo é feito pela assessoria da Presidente Dilma que critica “uso abusivo de vazamentos como arma política”.

A Operação Lava Jato chegou à 24ª fase na manhã de 4 de março de 2016. Segundo a Polícia Federal (PF), a operação ocorre na casa do ex-presidente Lula, em São Bernardo do Campo e em outras cidades de São Paulo, do Rio de Janeiro e da Bahia. Policiais contiveram várias brigas entre manifestantes nas proximidades da residência de Lula e em outros locais. O Instituto Lula também é alvo da ação da PF.

“O ex-presidente Lula, além de líder partidário, era o responsável final pela decisão de quem seriam os diretores da Petrobras e foi um dos principais beneficiários dos delitos. De fato, surgiram evidências de que os crimes o enriqueceram e financiaram campanhas eleitorais e o caixa de sua agremiação política”, diz trecho do comunicado do MPF.

A notícia que o ex-presidente Lula foi conduzido coercitivamente por policiais federais para prestar depoimento pela 24ª fase da Operação Lava Jato se espalhou rapidamente e movimentou a frente do prédio onde reside o petista, em São Bernardo do Campo, no ABC, e o saguão do Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, onde Lula prestou depoimento por cerca de três horas. Houve tumulto e diversos confrontos entre manifestantes pró e contra Lula. A Polícia Militar precisou intervir e pelo menos três pessoas foram detidas.

Ao todo, foram expedidos 44 mandados judiciais, sendo 33 de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva – quando a pessoa é obrigada a prestar depoimento. A operação ocorre também em outros pontos em São Paulo, no Rio de Janeiro e na Bahia. O Instituto Lula também é alvo da ação da PF. Também foram alvos dessa operação os filhos do ex-presidente Fabio, Marcos Cláudio e Sandro, a mulher de Lula, Marisa Letícia, e uma nora, Marlene Araújo Lula da Silva. O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto teve mandado de condução coercitiva concedido. Houve também busca e apreensão em endereços da assessora do ex-presidente.

Em nota, o Instituto Lula afirmou que a ação da Polícia Federal que realizou buscas na casa do ex-presidente Lula e que o levou a prestar depoimento foi “arbitrária, ilegal e injustificável”.

A presidente Dilma chamou em sequencia, ao menos cinco ministros do governo para avaliar a ação da Polícia Federal de cumprir mandado de busca e apreensão na casa do ex-presidente Lula e levá-lo para prestar depoimento em São Paulo.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, divulgou vídeo no Facebook no qual classificou a operação da Polícia Federal na casa do ex-presidente Lula de “política” e “espetáculo midiático”. Ele ainda pediu que a militância do partido fique em vigília sobre os desdobramentos do depoimento de Lula.

A defesa do ex-presidente Lula pediu em sequencia também, ao STF a suspensão de procedimentos relacionados às investigações relacionadas a ele dentro da Operação Lava Jato.

MPF diz que o instituto Lula recebeu de empreiteiras R$ 20 milhões em doações e que a LILS Palestras recebeu R$ 10 milhões. Investigadores querem saber se os recursos vieram de desvios da Petrobras e se foram usados de forma lícita. Parte do dinheiro foi transferido do Instituto Lula para empresas de filhos do ex-presidente, e o MPF apura se serviços foram de fato prestados.

Os ministros Edinho Silva (Comunicação Social), Jaques Wagner (Casa Civil), Aloizio Mercadante (Educação) e Miguel Rossetto (Trabalho e Previdência), todos filiados ao PT, criticaram a ação da Polícia Federal, que, por meio de condução coercitiva, levou o ex-presidente Lula para depor em São Paulo. Edinho Silva, classificou de “exagero” a operação. Rossetto chamou de “violência”.

“A condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva representa um ataque à democracia e à Constituição. Trata-se de novo e indigno capítulo na escalada golpista que busca desestabilizar o governo da presidente Dilma Rousseff, criminalizar o Partido dos Trabalhadores e combater o principal líder do povo brasileiro”, escreveu Falcão na nota.

“Consigne-se no mandado que NÃO deve ser utilizada algema e NÃO deve, em hipótese alguma, ser filmado ou, tanto quanto possível, permitida a filmagem do deslocamento do ex-presidente para a colheita do depoimento”, diz Moro no despacho da 24º fase da operação.

“Lamentavelmente, eu acho que estamos vivendo um processo em que a pirotecnia vale mais do que qualquer coisa. O que vale mais é o show midiático do que a apuração séria, responsável, que deve ser feita pela Justiça, pela polícia, pelo Ministério Público”, disse Lula.

“Me senti prisioneiro hoje de manhã”, afirmou diante de militantes. “Já passei por muita coisa na minha vida. Não sou homem de guardar mágoa, mas nosso país não pode continuar assim. Nosso país não pode continuar amedrontado.” Disse que “jamais se recusaria a prestar depoimento. Não precisaria ter mandado uma coerção”. “Era só ter convidado. Antes deles, nós já éramos democratas.” “Se o Moro e o Ministério Público quisessem me ouvir, era só ter me mandado um ofício e eu ia como sempre fui porque não devo e não temo”, declarou Lula.

A presidente Dilma afirmou por meio de nota à imprensa, ter “integral inconformismo” devido ao que chamou de “desnecessária” condução coercitiva de Lula para prestar depoimento à Polícia Federal.

A ministra Rosa Weber do STF, nega pedido apresentado pela defesa do ex-presidente Lula para suspender duas investigações sobre um triplex em Guarujá (SP) e um sítio em Atibaia (SP) ligados a ele.

Não vou mais citar exemplos em defesa e ataque ao processo do ex-presidente Lula na Lava Jato ocorridos até o fim de março, são muitos e partem dos mais diversos núcleos (Políticos, Empresários, Mídias em geral, Redes Sociais,

Militância e principalmente de origem popular, com protestos, debates, especulações e até mesmo embates físicos).

Ficaria extremamente repetitivo falar sobre cada caso e novamente destaco que a está altura, com maçante nível de informações nos mais diversos meios de comunicação, tornou-se quase inviável filtrar informações. Aqui, não havia mais o mérito aos crimes investigados e já investigados ou quanto mérito das questões levantadas em todos os meios e contra todos os envolvidos. E sim, um foco exacerbado ao impacto politico e de imagem envolvidos e conflitos ideológicos.

Durante este período turbulento, o mercado financeiro respondeu positivamente ao aumento da possibilidade de Impeachment da presidente Dilma e do andamento da investigação ao ex-presidente Lula(18).

A Justiça Federal condena o empresário Marcelo Odebrecht a 19 anos e quatro meses de prisão por envolvimento no esquema de corrupção descoberto na Petrobras pela Operação Lava Jato. Ele foi considerado o mandante dos crimes cometidos pela empreiteira, uma das maiores do país, acusada de pagar R$ 108 milhões e US$ 35 milhões em propina a agentes da Petrobras.

“Estão criando um movimento para derrubar o governo”

disse Dilma em avaliação do cenário atual.

O juiz Sérgio Moro autorizou escutas telefônicas do marqueteiro de campanhas do PT, João Santana, e da mulher, Monica Moura, que também é sócia dele na empresa Polis, de Marketing e Propaganda. As escutas foram feitas dias antes da prisão do casal, decretada em 22 de fevereiro, na 23ª fase da Operação Lava Jato, chamada de Acarajé – segundo os investigadores, o termo era usado por investigados para falar de dinheiro em espécie. O material está sendo analisado pela Polícia Federal.

A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), em conjunto com entidades parceiras, lança uma campanha pela autonomia da Polícia Federal. Atualmente, a PF é subordinada e vinculada ao Ministério da Justiça.

Principais auxiliares da presidente Dilma, os ministros Jaques Wagner (Casa Civil), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) e Edinho Silva (Comunicação Social), defendem que o ex-presidente Lula assuma o comando de uma pasta no ministério da presidente.

A maioria dos ministros do STF votou pela suspensão da nomeação, pela presidente Dilma, do novo ministro da Justiça, Wellington Cesar Lima e Silva, que tomou posse no cargo na semana passada. O argumento é que, segundo a Constituição, um membro do Ministério Público – como Wellington Cesar, procurador de Justiça da Bahia – não pode exercer qualquer função pública no Executivo, exceto a de professor, sob risco de subordinação a um governo. E

com isto o STF decidiu proibir que membros do Ministério Público, como promotores e procuradores de Justiça, exerçam cargos fora da instituição.

“As motivações minhas nunca foram partidárias. Eu não tenho ligação nenhuma, zero, zero, com partido ou pessoa ligada ao partido”, disse. Diz no encontro, realizado no Castelo do Batel o juiz federal Sergio Moro.

STF divulga o acórdão sobre o rito de Impeachment, o documento que resume a decisão tomada pelo Supremo, também determinou que a eleição dos membros da comissão especial ocorra por votação aberta – o contrário do que ocorreu na eleição da chapa de oposição.

Representantes das associações das Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), de Rádio e Televisão (Abratel), de Editores de Revistas (Aner) e de Jornais (ANJ) se reuniram no Palácio do Planalto, com o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, para manifestar “preocupação” com a “crescente onda de violência” contra profissionais da imprensa e veículos de comunicação.

O marqueteiro do PT João Santana pede para ser investigado sob supervisão do STF e não mais pelo juiz Sérgio Moro, que conduz os processos da Operação Lava Jato.

Ministério Publico pede a prisão preventiva na denúncia em que acusa o ex-presidente de esconder que é dono de um apartamento triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo. E é altamente criticado inclusive pela oposição ao governo por possuir “fraca argumentação jurídica”.

Tão logo foi divulgada a notícia do pedido de prisão preventiva do ex-presidente Lula por promotores de São Paulo, membros do governo se apressaram a articular uma posição citada antes, oferecer ao ex-presidente um ministério e, assim, evitar a possibilidade de ser preso. Em pouco tempo, o próprio Lula descartou a ideia.

Apesar dos esforços do ex-presidente Lula em manter o apoio do PMDB, a Convenção Nacional do partido deve marcar o início do desembarque da sigla do governo. Segundo parlamentares peemedebistas, não haverá um rompimento oficial com a presidente Dilma, mas poderia ser aprovada uma moção por maior independência do partido e um documento que libere os votos no processo de impeachment da petista.

Uma mensagem em nome do governador do Acre, Tião Viana, replicada em um grupo no WhatsApp de uma das secretarias. Na postagem, Viana supostamente reclama e fala em demitir os secretários que não compareceram a um evento com o ex-ministro Gilberto Carvalho, em Rio Branco, em apoio ao ex-presidente Lula.

“Não podemos ignorar que o país enfrenta uma gravíssima crise política e econômica. Mas não podemos deixar – e esta é a tarefa do PMDB – que os graves problemas comprometam os ganhos sociais alcançados nos últimos tempos”, diz Temer em convenção.

Protestos: Quase quatro horas após o início do protesto, organizadores estimaram a presença de cerca de 1 milhão de pessoas em manifestação no RJ.

Atos contra o governo da presidente Dilma foram realizados na região de Campinas (SP). Além da metrópole, Indaiatuba (SP), Hortolândia (SP), Amparo (SP), Paulínia (SP) Itapira (SP) e Espírito Santo do Pinhal (SP).

Integrantes de movimentos pró-impeachment da presidente Dilma ocuparam a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para uma marcha entre o Museu da República e o Congresso Nacional. Antes do início da caminhada, os manifestantes rezaram em frente à Catedral de Brasília. Seis carros de som acompanharam a marcha.

Manifestantes se reuniram na Avenida Paulista, em São Paulo, para protestar e pedir o impeachment da presidente Dilma. Segundo balanço do Datafolha, o protesto reuniu 500 mil pessoas. O Instituto divulgou que a manifestação em São Paulo foi o maior protesto na história da cidade. O ato nas Diretas Já, em 1984, reuniu 400 mil pessoas. Já o maior protesto anti-Dilma, até então, teve 210 mil pessoas em março de 2015, segundo o Datafolha.

Um grupo realiza uma manifestação de apoio ao governo federal em frente ao prédio onde mora o ex-presidente Lula (PT), em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Segundo a Guarda Municipal, cerca de 450 pessoas participaram do ato, que terminou por volta de 14h. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, que organizou o ato, disse que 600 pessoas participaram da manifestação das 10h às 15h.

Manifestações contra a presidente Dilma, o ex-presidente Lula e o PT aconteceram em todos os estados do país, em mais de 300 municípios. O maior protesto ocorreu na Avenida Paulista, em São Paulo.

Além dos protestos contra o governo Dilma, algumas cidades – Recife (PE), Fortaleza (CE), Porto Alegre (RS), São Bernardo do Campo (SP), Vitória (ES), Monte Claros e Coronel Fabriciano (MG) e São Luís (MA) realizam atos a favor do governo Dilma, do ex-presidente Lula e do PT.

Na avenida paulista, Aécio Neves e Geraldo Alckmin, desceram em uma van atrás do Museu da Arte de São Paulo (Masp) onde foram recebidos por manifestantes. Algumas pessoas gritaram “oportunistas” para eles. Uma mulher gritou “Fora Aécio! Fora vagabundo! Você é lixo também” e ambos deixaram as manifestações.

A Justiça de São Paulo encaminha a denúncia do Ministério Público do estado contra o ex-presidente Lula para a Justiça Federal de Curitiba, mais precisamente para as mãos do juiz Sérgio Moro.

Em depoimento prestado no curso das investigações da 24ª fase da Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula Silva afirmou que o seu governo “melhorou a vida da Polícia Federal pra cacete.”

Depois da decisão da juíza Maria Priscilla Oliveira de remeter para Curitiba o processo relativo ao triplex no Guarujá, cresceram e “são de 90% ou mais”, conforme assessores do Palácio do Planalto, as chances de o ex-presidente Lula se tornar ministro do governo Dilma. Se isso ocorrer, o processo sobe para o STF, pois ele ganharia prerrogativa de foro privilegiado.

A Presidência da República anuncia que o subprocurador-geral da República Eugênio Aragão assumirá o cargo de ministro da Justiça no lugar de Wellington César Lima e Silva. Surpresos com a decisão da presidente Dilma, investigadores da Operação Lava Jato dizem temer que Aragão possa criar conflitos com a Polícia Federal.

A defesa do ex-presidente diz que apresentará recurso contra a decisão da Justiça de São Paulo, que repassou a denúncia do Ministério Público de São Paulo contra Lula, à Justiça Federal, informou o Instituto Lula em nota publicada em seu site. Os advogados de Lula entendem que a competência para analisar o caso é da Justiça de São Paulo. E na sequencia, a defesa do ex-presidente pede novamente ao STF para suspender as investigações sobre o triplex em Guarujá (SP) e o sítio em Atibaia (SP) ligados a ele.

O ministro Teori Zavascki do STF, homologa a delação premiada firmada entre o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) para colaborar com as investigações da Operação Lava Jato. A homologação confere validade jurídica ao acordo, atestando que ele cumpre regras estabelecidas em lei. A partir desse ato, a PGR poderá separar fatos narrados pelo senador, em depoimentos já prestados, que levantam suspeitas sobre crimes e pessoas neles supostamente envolvidas.

“Questionado ao depoente quem teria recebido valores de Furnas, o depoente diz se que não sabe precisar, mas sabe que Dimas operacionalizava pagamentos e um dos beneficiários dos valores ilícitos sem dúvida foi Aécio Neves, assim como também o PP, através de José Janene; que também o próprio PT recebeu valores”, diz o texto da delação premiada de Delcidio.

A presidente Dilma convocou ao seu gabinete no Palácio do Planalto, reunião de emergência após a quebra do segredo de justiça da delação premiada de Delcidio. A reunião teve presença de quatro de seus principais assessores: Jaques Wagner (Casa Civil), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo), José Eduardo Cardozo (Advocacia-Geral da União) e Giles Azevedo (assessor especial da Presidência).

Em acordo de delação premiada, Delcídio afirmou que Mercadante lhe ofereceu ajuda política e financeira para que o senador não fechasse acordo com o Ministério Público Federal. Aos procuradores, Delcídio declarou também acreditar que o chefe da Educação havia o procurado como “emissário de Dilma”, por contar com a confiança da presidente. Mercadante negou ter feito essa oferta a Delcídio. (mais tarde, vídeo foi divulgado como prova da conversa ocorrida).

A presidente Dilma decidiu, depois de muitas horas de reunião, que o ex-presidente Lula vai ocupar a Casa Civil do governo, no lugar de Jaques Wagner, que vai para a chefia de gabinete da Presidência com status de ministro.

O atual ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, afirmou em suas páginas pessoais no Facebook e no Twitter, que a nomeação do ex-presidente para o cargo de ministro da Casa Civil é um “gigantesco reforço”.

O ministro Gilmar Mendes do STF, criticou duramente a nomeação do ex-presidente Lula para a chefia da Casa Civil, afirmando que a iniciativa é uma fuga do petista da investigação da Lava Jato em Curitiba e pode vir a ser analisa pelo tribunal.

O senador Delcídio afirmou, em depoimento à Procuradoria Geral da República, que o início do “enfrentamento” entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e a presidente Dilma foi motivado por mudanças que a petista promoveu na diretoria da estatal Furnas.

A presidente Dilma afirmou durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto, que um dos motivos para que o ex-presidente Lula tenha sido convidado para integrar o ministério é o compromisso dele com a estabilidade fiscal e o controle da inflação.

A maioria dos ministros do STF vota a favor de manter decisão da Corte que alterou o rito do impeachment definido pela Câmara para tentar depor a presidente Dilma.

O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, protocolou ao juiz Sérgio Moro um pedido para que as investigações da 24ª fase da Operação Lava Jato sejam imediatamente suspensas e remetidas ao STF. Ele justifica o pedido por conta da nomeação do ex-presidente Lula como ministro, o que lhe conferiu foro privilegiado.

O juiz Sérgio Moro retirou o sigilo de interceptações telefônicas do ex-presidente Lula. As conversas gravadas pela Polícia Federal incluem diálogo com a presidente Dilma.

No despacho em que libera as gravações, Moro afirma que, “pelo teor dos diálogos degravados, constata-se que o ex-Presidente já sabia ou pelo menos desconfiava de que estaria sendo interceptado pela Polícia Federal, comprometendo a espontaneidade e a credibilidade de diversos dos diálogos”.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, disse que a divulgação do áudio da conversa entre a presidente Dilma com Lula é uma ‘arbitrariedade’ e estimula uma ‘convulsão social’.

Em nova reunião de emergência, Dilma chama ao Palácio da Alvorada os ministros José Eduardo Cardozo (Advocacia-Geral da União), Edinho Silva (Comunicação Social) e Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo), além do assessor especial dela Giles Azevedo. Para discutir os impactos da divulgação de grampos telefônicos que incluíam uma gravação em que Dilma diz a Lula que o enviará o termo de posse (da Casa Civil) para que ele use “em caso de necessidade”.

Manifestações contra o governo à nomeação do ex-presidente Lula como chefe da Casa Civil aconteceram em ao menos 19 estados do país (AC, AL, AM, BA, CE, ES, GO, MT, MS, MG, PA, PR, PE, RJ, RO, RN, RS, SC, SP) e no Distrito Federal.

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República divulgou nota na qual afirma que a divulgação do conteúdo de telefonema entre a presidente Dilma e o ex-presidente Lula é uma “afronta” a direitos e garantias da Presidência da República e uma “flagrante violação da lei e da Constituição da República, cometida pelo juiz autor do vazamento”.

Em outro momento, o ex-presidente Lula afirma o seguinte: “Sabe o que acontece? O problema é que nós temos que fazer nos “respeitar”! Um delegado não pode desrespeitar um político, um senador ou um deputado! Sabe? Não tem sentido! Um cara do Ministério Público tem que respeitar! Todo mundo quer autonomia… Quem está precisando de autonomia nesse país é a DILMA!”.

Em diálogo, com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB-RJ), no dia 7 de março, Lula diz que “esses meninos da Polícia Federal e esses meninos do Ministério Público […] se sentem enviado de Deus”. “Olha, deixa eu lhe falar uma coisa. Esses meninos da Polícia Federal e esses meninos do Ministério Público, eles se sentem enviado de Deus”, diz Lula. O prefeito responde: “Os caras do Ministério Público são crentes né?”. Lula completa afirmando que “isso é uma coisa absurda” e que “esse país tem de brigar com eles pra tentar coloca-los no seu devido lugar”. “Uma hora nos vamos conversar um pouco porque eu acho que eu sou a chance que esse país tem de brigar com eles pra tentar colocá-lo no seu devido lugar. Ou seja, nós criamos instituições sérias, mas tem que ter limites, tem que ter regras”.

Vários grupos organizaram protestos em resposta a situação. Um dos protestos bloqueou a Avenida Atlântica, em Copacabana, nos dois sentidos. Em seguida, a passeata foi para a Avenida Nossa Senhora de Copacabana, também fechando a via. Antes do protesto, um panelaço foi feito em vários bairros.

Manifestantes contrários à nomeação do ex-presidente Lula como ministro-chefe da Casa Civil fizeram um protesto em frente à sede da Justiça Federal, em Curitiba. O local é onde ocorrem os julgamentos dos processos relacionados à Operação Lava Jato, em primeira instância.

“A conversa entre a presidente Dilma e o ex-presidente Lula, a respeito do termo de posse dele como ministro-chefe da Casa Civil foi feita quase duas horas depois de o juiz federal Sérgio Moro mandar a Polícia Federal suspender as interceptações telefônicas de Lula. Segundo um documento da própria Polícia Federal, o diálogo entre Dilma e Lula foi interceptado às 13h32. No entanto, o juiz Sérgio Moro havia determinado às 11h20 o fim das interceptações dos terminais telefônicos ligados ao ex-presidente.”

No início da cerimônia de posse do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil, o deputado Major Olímpio (SD-SP), um dos convidados, gritou “vergonha” quando a presidente Dilma ia começar seu discurso. Imediatamente, parte dos convidados ficou de pé para identificar quem gritou, vaiou o deputado, que é da oposição, e passou a entoar o coro “Não vai ter golpe”.

Pouco depois do término da cerimônia, o juiz federal Itagiba Catta Preta Neto, da 4ª Vara do Distrito Federal, suspendeu, por meio de uma decisão liminar (provisória), a posse de Lula na chefia da Casa Civil.

Após a divulgação de grampos telefônicos do ex-presidente Lula com aliados, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), disse que irá avaliar junto a advogados uma representação contra o juiz federal Sérgio Moro por abuso de poder.

Uma escuta telefônica, feita com autorização da Justiça e divulgada pelo juiz Sergio Moro, mostra o senador acreano Jorge Viana (PT) em uma conversa com o advogado do ex-presidente Lula, Roberto Teixeira. Na ligação, o senador propõe estratégias para que Lula enfrente Moro, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal (PF).

O escritório Teixeira, Martins & Advogados, que atende Lula, afirma que a operação Lava-Jato fez grampo ilegal de Roberto Teixeira, que representa o ex-presidente, e de 25 advogados que trabalham na empresa. Em nota, Teixeira e seu sócio Cristiano Zanin Martins dizem ter tomado conhecimento de que o juiz federal Sérgio Moro autorizou a interceptação do telefone celular de Teixeira. Além disso, o telefone central do escritório foi grampeado, afirma a nota, dando acesso aos telefonemas de outros advogados que representam Lula.

A Câmara dos Deputados elege com “bate boca”, em votação aberta, os 65 integrantes da comissão especial que primeiro analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma.

O STF recebe uma serie de ações protocoladas contra a nomeação do ex-presidente Lula. Tendo como relator da maioria delas o ministro da Corte Gilmar Mendes. Outras duas estão com o ministro Teori Zavascki e uma com Marco Aurélio Mello.

Em AC, BA, CE, DF, PB e RS foram registrados protestos a favor do governo. Já AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PR, RJ, RN, RS, RO, RR, SC, SE, SP e TO tiveram manifestantes contra o governo. Só no PI não foram registrados atos.

Em ofício enviado ao juiz Sérgio Mouro, a Polícia Federal informou que apesar de “incontáveis tentativas de contato […] para alertar a empresa OI” da interrupção das interceptações telefônicas, só recebeu resposta do cumprimento da ordem judicial após 24 horas. A Oi informou que não iria comentar.

A Advocacia Geral da União (AGU), que faz a defesa do governo na Justiça, pediu ao STF a suspensão de todas as ações que tramitam no país contra a nomeação do ex-presidente Lula na Casa Civil.

Trecho de gravação telefônica feita pelos investigadores da Lava Jato mostra o presidente do PT, Rui Falcão, cobrando do então ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, uma reação do governo sobre o pedido de prisão do ex-presidente Lula feito pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP). Segundo os investigadores, eles também falam sobre o que aconteceria com o pedido de prisão se Lula aceitasse um ministério imediatamente. Questionado por Falcão, Wagner diz não saber qual seria o impacto da nomeação.

Manifestantes realizam os maiores atos em favor do governo da presidente Dilma desde 2015 e pela primeira vez contaram com a presença do ex-presidente Lula, que fez um discurso em São Paulo. Um dos eventos, intitulado “em defesa da democracia, contra o golpe e contra os retrocessos políticos e sociais” foi organizado pela CUT e pela Frente Brasil Popular do DF.

O presidente do STF ministro Ricardo Lewandowski, rebateu em Manaus, a fala em gravação da operação Lava Jato, em que o ex-presidente Lula classifica a Corte como “acovardada”.

“Eu entrei pra ajudar a presidenta Dilma, porque precisamos restabelecer a paz e a esperança e provar que esse país é maior que qualquer coisa no planeta terra”, disse Lula em protesto.

O novo ministro da Justiça, Eugênio Aragão, disse, em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo”, que não vai tolerar vazamentos de investigações e disse que, se “cheirar” vazamento por um agente, a equipe inteira será trocada, sem a necessidade de ter prova.

O governo pede que o STF suspenda a decisão liminar (provisória) do ministro Gilmar Mendes que barrou a nomeação do ex-presidente Lula na Casa Civil e mais de 50 ações que questionam a nomeação e pedem que Teori Zavascki seja o responsável pela análise das ações.

A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) divulgou nota após reunião da diretoria da entidade, para manifestar “repúdio” às “graves declarações” do novo ministro da Justiça, Eugênio Aragão.

A 25ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Polimento, apreende em Portugal, documentos de offshores e obras de arte com o operador financeiro Raul Schmidt Felippe Junior, foragido desde julho de 2015 sob acusações de envolvimento nos desvios de dinheiro da Petrobras.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), entregou a sua defesa no Conselho de Ética no último dia do prazo.

O juiz federal Sérgio Moro enviou ao STF, os áudios das conversas do ex-presidente Lula.

A Polícia Federal realiza a 26ª fase da Operação Lava Jato. Cerca de 380 policiais federais cumprem 108 mandados judiciais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Piauí, Minas Gerais, Pernambuco e no Distrito Federal. A atual fase foi batizada de Xepa e tem como alvo o Grupo Odebrecht.

A ministra Rosa Weber do STF, nega pedido da defesa do ex-presidente Lula para manter na Corte investigação sobre o petista na Operação Lava Jato.

A presidente Dilma classifica como “golpe” o processo de impeachment de que ela é alvo na Câmara dos Deputados e reafirma que não irá renunciar “jamais”. A petista deu a declaração durante ato organizado no Palácio do Planalto para que dezenas de profissionais do meio jurídico manifestassem apoio ao governo e se posicionassem contra a tentativa de afastá-la da Presidência. Advogados, promotores, magistrados, defensores públicos e professores universitários participaram do evento.

Senadores do PT ficaram entusiasmados com os primeiros retornos do encontro do ex-presidente Lula com o presidente do Congresso, Renan Caheiros (PMDB-AL), e com o ex-presidente José Sarney. Até então, a avaliação era que o processo de impeachment passaria de forma rápida no Senado, depois de aprovado pela Câmara. Para petistas, se Renan mantiver o compromisso assumido com Lula, o cronograma do processo de impeachment no Senado poderá ser mais lento do que o imaginado inicialmente.

O Grupo Odebrecht anuncia que decidiu colaborar com a investigação da Lava Jato. Além de um acordo de leniência já em curso com a Controladoria Geral da União (CGU), todos os executivos da empreiteira concordaram em fazer acordos de delação premiada, que, em nota, a empresa chama de “colaboração definitiva”.

O ministro Teori Zavascki do STF, determina que o juiz federal Sérgio Moro envie para o STF as investigações da Operação Lava Jato que envolvem o ex-presidente Lula e coloca as gravações telefônicas sob sigilo.

A Polícia Federal encontrou planilhas que mostram doações feitas pela Odebrecht a mais de 200 políticos de 18 partidos, a base de dados atinge um período maior do que duas décadas. Os documentos foram apreendidos na residência do presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Barbosa da Silva Junior, que foi preso temporariamente na 23ª fase da Operação Lava Jato e liberado posteriormente pela Justiça.

STF informa ter reforçado a segurança pessoal do ministro Teori Zavascki, manifestantes contrários ao governo promoveram um protesto em frente à casa do ministro, em Porto Alegre. Os manifestantes penduraram uma faixa em frente ao prédio onde a família de Teori vive na capital gaúcha com a mensagem “Deixa o Moro trabalhar”. A faixa foi retirada do local na manhã desta quarta.

Alvo de um processo de impeachment, a presidente Dilma concedeu uma entrevista a correspondentes de jornais de seis países para falar sobre a crise política e econômica brasileira. A entrevista, que durou quase duas horas, foi dada a repórteres dos jornais “Die Zeit” (Alemanha), “The New York Times” (Estados Unidos), “El País” (Espanha), “The Guardian” (Inglaterra), “Le Monde” (França) e “Página 12” (Argentina). “Ela usou essa palavra, golpe. Disse que é um golpe diferente do que ocorreu na ditadura militar, mas é um golpe”, relatou o correspondente do “Die Zeit”.

O juiz federal Sérgio Moro decretou sigilo sobre toda a investigação referente à 26ª fase da Operação Lava Jato, denominada “Xepa”. A última etapa da Lava Jato até o momento é um desdobramento da Operação Acarajé, a 23ª fase, que ocorreu em fevereiro e investiga o pagamento de propinas por parte do Grupo Odebrecht a agentes públicos. É neste processo que estão anexadas as planilhas de pagamentos da Odebrecht a candidatos, nas eleições de 2010, 2012 e 2014.

“Essa operação de combate à corrupção é uma necessidade para este país. Eles estão dizendo que vão recuperar não sei quantos bilhões, seis bilhões, um bilhão, dois bilhões, três bilhões. Não tem problema. Agora, eu queria que vocês procurassem a força-tarefa, procurassem o juiz Moro, para saber o seguinte: se eles estão discutindo quanto essa operação já deu de prejuízo à economia brasileira”, “Vocês têm que procurar a força-tarefa e perguntar se eles têm consciência do que está acontecendo neste país”. Lula em ato em São Paulo

A 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal aceitou recurso da Procuradoria-Geral da República e autorizou a retomada de duas ações de reparação de danos por improbidade administrativa contra os ex-ministros do governo de Fernando Henrique Cardoso, do PSDB: Pedro Malan (Fazenda), José Serra (Planejamento, Orçamento e Gestão), Pedro Parente (Casa Civil), além de ex-presidentes e diretores do Banco Central.

O juiz Sérgio Moro, decidiu enviar ao STF as investigações da 23ª e 26ª fases da Operação Lava Jato, batizadas de Acarajé e Xepa.

O ex-presidente Lula disse que vê com “certa tristeza” a possibilidade de o PMDB deixar o governo Dilma, mas acredita que ainda há chance de um acordo que mantenha parte da legenda na base de apoio governista. Disse também que quer participar das decisões do governo mesmo que seja na condição de conselheiro, caso não consiga tomar posse como ministro.

A Ordem dos Advogados do Brasil protocola novo pedido de impeachment da presidente Dilma na Câmara dos Deputados. O documento se somará a outros 11 pedidos pendentes de análise pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Presidência da República enviou ao STF, manifestação sobre ações que questionam a nomeação do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil. O documento é assinado por advogados da União e subscrito pela presidente Dilma.

Integrantes do Ministério Público Federal realizaram a entrega simbólica de 2.028.263 assinaturas de cidadãos que apoiam um pacote de 10 medidas de combate à corrupção propostas pelo órgão.

O Diretório Nacional do PMDB decidi por aclamação, romper oficialmente com o governo da presidente Dilma. Na reunião, a cúpula peemedebista também determinou que os seis ministros do partido e os filiados que ocupam outros postos no Executivo federal entreguem seus cargos.

“Economia resolvemos amanhã; evitar o golpe, é hoje’ Lula em evento em São Paulo

O juiz Sérgio Moro, enviou ofício ao STF no qual pede “respeitosas escusas” à Corte pelas consequências da retirada do sigilo das escutas telefônicas envolvendo o ex-presidente Lula e autoridades, incluindo a presidente Dilma. Mas afirmou que a decisão foi tomada com base na Constituição e que os diálogos revelaram uma tentativa de obstruir a Justiça.

A Polícia Federal instaurou inquérito para apurar supostos crimes de ameaça e injúria praticados contra o ministro do STF, Teori Zavascki. De acordo com o texto, os comentários ofensivos e intimidadores foram publicados em redes sociais e também enviados por e-mail. A PF diz ter coletado dados e solicitado a preservação das informações para a identificação dos autores. O próprio ministro solicitou a investigação.

Mesmo sem ocupar o gabinete de ministro-chefe da Casa Civil, no quarto andar do Palácio do Planalto, o ex-presidente Lula está trabalhando intensamente como articulador político do governo e conversando com um a um dos deputados de partidos aliados para pedir apoio contra o processo de impeachment da presidente Dilma. O argumento que ele tem dado é o de que, rejeitado o pedido de afastamento, o governo será o dele. “Depois desse processo todo, será o meu governo”, teria dito o ex-presidente Lula, segundo um interlocutor. O argumento “o meu governo”. Ele também quis dizer que tem capacidade de reagir e recuperar confiança para melhorar a economia do país.

Uma semana após receber apoio de juristas contrários ao processo de impeachment, a presidente Dilma recebe no Palácio do Planalto, artistas e intelectuais que são contra a tentativa de afastá-la da Presidência.

O Ministério Público Federal apresentou à Justiça denúncia contra o dono do grupo Safra, Joseph Safra, e um ex-diretor do grupo, João Inácio Puga, acusados de pagar propina de R$ 15 milhões para obter decisões favoráveis no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado à Receita Federal.

A presidente Dilma afirma em uma cerimônia no Palácio do Planalto, que todos seus antecessores na Presidência da República fizeram “pedaladas fiscais”, manobra contábil que é um dos crimes atribuídos a ela no processo de impeachment que tramita no Congresso Nacional.

STF confirma a decisão do ministro Teori Zavascki – relator dos processos da Lava Jato na Corte – de retirar do juiz federal Sérgio Moro as investigações sobre o ex-presidente Lula.

Em conversa com aliados, Lula defendeu que haja pressa no governo para fazer a reforma ministerial para ampliar o espaço de partidos como o PP, o PR, o PSD e até o PRB. Lula disse que, se não for feito logo o remanejamento dos cargos, pode haver uma desconfiança dos aliados, o que levaria a um novo movimento de desembarque do governo.

O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva falou durante entrevista a jornalistas em seu gabinete, sobre o risco do surgimento do “primeiro cadáver” em razão do ambiente de “radicalização” e “intolerância” política desde as eleições de 2014. Ele criticou o que chamou de “incentivo aberto” à violência nas redes sociais, o que, para o ministro, deveria ser caracterizado como crime.

A Polícia Federal (PF) cumpriu 12 mandados judiciais da 27ª fase da Operação Lava Jato em São Paulo. Foram presos temporariamente Silvio Pereira, ex-secretário geral do PT, e Ronan Maria Pinto, dono do jornal “Diário do Grande ABC” e de empresas do setor de transporte e coleta de lixo.

O advogado Mariel Márley Marra, de Minas Gerais, entrou com ação no STF para pedir que a corte obrigue a Câmara dos Deputados a analisar pedido de impeachment também do vice-presidente da República, Michel Temer. Inicialmente, Marra apresentou o pedido à Camara, mas o presidente, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), arquivou no dia 5 de janeiro por entender que não havia indício de crime de responsabilidade do vice-presidente.

O Ministério da Justiça divulgou nota na qual informou ter determinado à Polícia Federal que investigue ameaças feitas ao ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva pela internet.

Uma investigação feita a partir de documentos do escritório de advocacia e consultoria Mossack Fonseca, no Panamá, revela 107 offshores – empresas constituídas no exterior – ligadas a empresas e políticos citados na operação Lava Jato.

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, afirmou que o processo de impeachment da presidente Dilma que tramita na Câmara foi aberto por “vingança” do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Para Cardozo, Cunha decidiu abrir o processo porque o PT votou pela continuidade de processo que investiga o peemedebista no Conselho de Ética. Cardozo foi à comissão especial do impeachment para apresentar a defesa de Dilma. Ao falar para deputados, ele afirmou que não houve crime de responsabilidade cometido pela presidente. O documento da defesa, com cerca de 200 páginas, foi entregue pessoalmente por Cardozo no último dia do prazo, que terminou após passadas 10 sessões do plenário desde que a comissão foi instalada.

Lula faz diversas criticas ao vice-presidente Michel Temer durante atos contra o Impeachment. Novamente cita o processo como um ato de “golpe” e diz que Temer estaria tentando fazer uma escalada ao poder.

O governo iniciou a semana com negociações intensas com deputados da base aliada para evitar o prosseguimento do processo de impeachment contra a presidente Dilma, em curso na Câmara. Os alvos do Palácio do Planalto são partidos da base que, após a saída do PMDB do governo, podem ganhar mais espaço na Esplanada dos Ministérios.

O ministro Marco Aurélio Mello, do STF, determinou que o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceite pedido de impeachment contra o vice-presidente da República, Michel Temer, e instale uma comissão especial para analisar o processo.

O deputado Paulo Maluf (PP), acusa o governo de oferecer cargos para “comprar” o apoio de parlamentares do seu partido.

Inseri neste texto, o máximo de informações que pude coletar referente ao período, em ordem cronológica. Infelizmente não seria possível incluir exatamente todas, mas espero ter elucidado um pouco mais as questões envolvidas em todo o processo.

Nos últimos quinze dias principalmente, houve um posicionamento efetivo de diversos artistas e intelectuais sobre nossa atual situação politica e como formadores de opinião, estes movimentaram ainda mais o clamor publico, principalmente em redes sociais. Também notei que o nível de debate tomou uma proporção nunca antes vista. Ameaças, agressões físicas, distorções de fatos e até mesmo distorções constitucionais tomaram conta do cenário e rapidamente tomamos novamente uma bandeira e/ou conjunto de ideias como forma de símbolo da democracia.

Você possui aquilo que merece, é um ditado verídico e que sobreviveu ao passar do tempo justamente por ser verdadeiro. Isto para a maioria, não para todos. Alguns possuem mais do que merecem por se acharem diferentes de nós, o povo. E estes, agem pelas sombras. Sombras que construímos com nossa indiferença e falta de interesse a tudo que não nós afeta diretamente no aqui e no agora. Lutamos, portanto, para agarrar nosso caminho a procura de uma classe media falida e com isto, sobreviver. E está classe encontrasse falida graças a estes, que acreditam que não temos importância ou real relevância e que consomem mais do que merecem de fato. Mas temos importância, o Brasil tem. Todavia, se você acredita que está sendo manipulado e prejudicado por apenas um destes lados: Não está prestando atenção suficiente a esta historia e provavelmente, já estamos perdidos.

Algumas fontes utilizadas no desenvolvimento deste texto e outros anteriores a junho:

1) Youtube: 21/10/2010 – Horário de propaganda eleitoral gratuita – Dilma Youtube: Programa de Propaganda de José Serra – 22/10/2010 (à tarde) Youtube: DEBATE SEGUNDO TURNO PRESIDENTE DO BRASIL 2010 -DILMA X SERRA 2) Site: http://www.fpabramo.org.br/fpadefato/?p=225 3) Youtube: Primeiro pronunciamento de Dilma como presidente eleita (31 de outubro) Youtube: Dilma Rousseff se emociona no primeiro discurso como presidente do Brasil Youtube: Dilma Rousseff se emociona no primeiro discurso como presidente do Brasil

4) Site: http://www.pt.org.br/dilma-primeiro-mandato-foco-em-infraestrutura-e-no-social/ Youtube: A Copa e os Impactos no Brasil com Palestrante Claiton Fernandez Youtube: Qual será o legado social da Copa do Mundo 2014 para o Brasil? – Brasilianas.org Site: http://www.cartamaior.com.br/?/Blog/Blog-do-Emir/O-Brasil-depois-da-Copa/2/31391 Site:http://senado.jusbrasil.com.br/noticias/159682666/os-avancos-e-as-crises-do-primeiro-mandato-de-dilma-rousseff 5) Site: http://www.cartamaior.com.br/?/Blog/Blog-do-Emir/O-Brasil-depois-da-Copa/2/31391 Site: http://saopaulo.mpl.org.br/ 6) Site:http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2013/06/entenda-o-que-e-a-pec-37 Site: http://g1.globo.com/politica/pec-37-o-que-e/platb/ 7) Site:http://www.oab.org.br/editora/revista/users/revista/1235068896174218181901.pdf 8) Site:http://noticias.terra.com.br/eleicoes/propagandaearma/blog/2014/10/02/14-destaques-de-uma-campanha-eleitoral-marcada-por-polemicas-e-ironias/ Youtube: Eduardo Jorge – Melhores momentos Debate BAND 2014 Youtube: DEBATE ~ Eduardo Jorge Vs Luciana Genro ~ Risinho Maroto Youtube: Levy Fidelix x Luciana Genro – Debate Record Youtube: Debate Aécio x Dilma Globo 9) Site:http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/apuracao-votos-presidente.html Site:http://eleicoes.uol.com.br/2014/noticias/2014/08/29/especialistas-alertam-para-possibilidade-de-fraudes-na-urna-eletronica.htm Site: http://politica.estadao.com.br/blogs/gestao-politica-e-sociedade/politica-e-sociedade-as-manifestacoes-de-rua-de-2013-e-2015/ Site: http://www.usp.br/aun/exibir.php?id=5927 Site:http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/2013/06/das-redes-para-as-ruas Site: http://brasilescola.uol.com.br/sociologia/as-ultimas-manifestacoes-politicas-no-brasil-vamos-conseguir.htm 10) Youtube: Juiz Sérgio Moro palestra sobre o caso Lava Jato durante Exame Fórum 2015 Site: http://arte.folha.uol.com.br/poder/operacao-lava-jato/ Site: http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/ Site: http://noticias.r7.com/brasil/operacao-lava-jato Site: http://lavajato.mpf.mp.br/entenda-o-caso Youtube: Operação Lava Jato: Nunca antes nesse país – GloboNews – 18/03/2016 Youtube: Entenda a Operação Lava Jato Youtube: Reportagem da Semana – Operação Lava Jato ameaça ex presidente Lula Site:http://www.petrobras.com.br/pt/nossas-atividades/principais-operacoes/refinarias/refinaria-abreu-e-lima.htm Site:http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/11/tcu-constata-superfaturamento-de-r-1-bilhao-em-abreu-e-lima.html Site:http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/03/160322_lavajato_suica_contas_mdb Site:http://lavajato.mpf.mp.br/atuacao-na-1a-instancia/resultados/a-lava-jato-em-numeros-1 Youtube: ENTENDA- A OPERAÇÃO LAVA-JATO 11) Site: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12850.htm Site:http://franciscohayashi.jusbrasil.com.br/artigos/138209424/entenda-a-delacao-premiada 12) Site:https://pt.wikipedia.org/wiki/Opera%C3%A7%C3%A3o_M%C3%A3os_Limpas Youtube: Operação Mãos Limpas transformou a política da Itália há décadas Youtube: Discurso de posse da presidente Dilma Rousseff (2015) 13) Site:http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/noticia/2014/09/dilma-diz-que-mudanca-na-economia-brasileira-depende-dos-eua.html Site:http://g1.globo.com/economia/mercados/noticia/2015/01/bovespa-inicia-2015-em-queda.html 14) Site: http://brasil.elpais.com/especiais/2015/crise-politica-governo-dilma-rousseff/ Site:http://g1.globo.com/bom-dia brasil/noticia/2015/08/crise-politica-esta-agravando-crise-economica-diz-miriam-leitao.html Site: http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Qual-e-a-crise-politica-brasileira-hoje-/4/33080 Site: http://www.valor.com.br/brasil/4260976/fmi-corrupcao-e-crise-politica-aprofundaram-recessao-no-brasil Site: http://www.jornalja.com.br/brasil-2015-crise-politica-disputa-de-projetos-e-democracia-em-xeque/ Site:http://brasil.elpais.com/brasil/2015/11/04/economia/1446663237_818015.html Site:http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2015/12/crise-economica-deve-ser-ainda-maior-em-2016-4929367.html Site:http://www.canalrural.com.br/noticias/reportagem-especial/brasil-fecha-2015-com-pior-crise-economica-anos-60233 Site: http://g1.globo.com/politica/processo-de-impeachment-de-dilma/ Site:http://www.valor.com.br/video/4731889109001/ibovespa-abre-o-ano-em-forte-queda 15) Youtube: Colégio Vértice – A República e a relação entre os três poderes. Site: http://www.infoescola.com/historia/revolucao-francesa/ Site:http://www.mundovestibular.com.br/articles/2771/1/CONSTITUICOES-BRASILEIRAS-DE-1824-A-1988/Paacutegina1.html Site:http://www.guiadedireitos.org/index.php?option=com_content&view=article&id=202:judiciario&catid=31:seguranca-e-justica&Itemid=5 Youtube: Diálogos com um Presidente – Academia de Polícia Militar do Barro

5 visualizações

Gostou da leitura? Doe e ajude-nos a fornecer notícias e análise para os leitores.

1LAdqqf4PqraX8ZxqMjirnWoE6XR7vX5Nm

0x155a69970abb497231fc437ad05365c6962f4e4e

  • Telegram
  • Instagram
  • Youtube
  • Reddit
  • Facebook Politizei
  • WhatsApp
  • Twitter
  • Gmail

© 2023 por "EXL CAPITAL ANTIFRAGIL TECNOLIGIA DA INFORMACAO LTDA"